Got My Cursor @ 123Cursors.com
MEU ANIMAL AMIGO: DEPRESSÃO EM ANIMAIS

sábado, 27 de fevereiro de 2010

DEPRESSÃO EM ANIMAIS

Um mal desconhecido por muitos, principalmente quando se trata de cães e gatos de estimação, a depressão em animais é muito comum. Há quem pense até que os sintomas são apenas “caprichos” do animal para chamar a atenção do dono, mas a doença pode até matar se não diagnosticada e tratada
Assim como em humanos, fatores dos mais variados levam um animal domesticado a entrar em depressão. “Os mais freqüentes, sem dúvida alguma, são a ausência dos donos por motivo de viagem ou falecimento, mudanças de ambiente, falta de atividades físicas e de contato com outros animais e pessoas”, explica o médico veterinário Luis Fernando dos Santos Melo.
Os cães estão entre as espécies com maior propensão a desenvolver a depressão, em especial aqueles que viveram algum tempo em casas grandes, fazendas ou sítios e passam a morar em apartamento. Mas isso não quer dizer que os gatos estejam livres deste mal. Um outro grupo de risco são os animais de circo, já que o confinamento e a mudança de ambiente, bem como dos hábitos normais, são muito agressivos.

Sintomas Podem Ser Bem Variáveis
Não é nada fácil perceber os sinais da depressão nos animais domésticos, já que geralmente se mostram variáveis e individuais. Muitas vezes, ocorrem sintomas como a alteração do comportamento normal do animal, inquietação ou prostração, atos repetidos diversas vezes, entre eles, lamber o chão ou a pata, correr atrás do rabo e automutilação, quando passa literalmente a comer as patas ou cauda.
Segundo Luis Fernando Melo, ao perceber os sintomas da depressão, o proprietário do animal deve de imediato tentar identificar uma causa de base, ou seja, o motivo que levou a doença a se manifestar. “Em seguida, é preciso solicitar uma orientação médico-veterinária”, diz, alertando que a falta de tratamento pode causar danos ao animal, que vão desde lesões em diversas partes do corpo por lambedura ou mordedura e alterações de peso - as mais evidentes ao proprietário do animal-, até transtornos mais sérios em decorrência dessas lesões ou relacionadas ao jejum.

Homeopatia e Florais de Bach Estão Entre os Tratamentos Recomendados
Existem diversas formas de tratar a depressão em animais. O tipo de tratamento pode variar de acordo com o animal, a causa da doença e a determinação do médico veterinário. Luis Fernando explica que o primeiro passo é estabelecer a causa da depressão é tentar tratá-la no local de origem, através de socialização do animal e visitas do dono. “Caso não seja eficiente ou possível, há tratamentos alopáticos e homeopáticos que visam solucionar o problema”, esclarece.
A homeopatia e os Florais de Bach têm-se mostrados efetivos no tratamento da doença. Muitos veterinários têm alcançado a cura da depressão em animais através destes recursos, mas quando o grau de depressão e alteração comportamental é grande, pode-se fazer uso até de medicações humanas mais fortes como a fluoxetina, por exemplo, mais conhecida como Prozac.

Prevenção é o Melhor Remédio
Observar o animal de estimação e respeitar seus hábitos normais é a melhor forma de evitar o mal da depressão. Assim como os humanos, cães e gatos ficam tristes, principalmente quando são mantidos sozinhos por períodos longos de tempo, permanecem confinados sem a possibilidade de praticar exercícios físicos ou são tratados com pouca ou nenhuma atenção.
Para quem trabalha fora o dia inteiro, a dica é ter um gato como animal de estimação. Apesar de também estarem sujeitos a desenvolver a depressão, o risco é menor em relação aos cães. Isso porque os gatos são auto-suficientes e geralmente dormem bastante durante o dia, adaptando-se com mais facilidade à ausência dos donos. Mas caso a opção for mesmo por um cãozinho, a presença do dono pode ser substituída pela companhia de um outro animal. Vale lembrar que há inúmeras formas de evitar que seu animal de estimação entre em depressão, mas a principal é o carinho que você pode e deve dar a ele diariamente.

Dicas Para Evitar a Depressão
- Tenha sempre um tempo disponível para passear com seu animal de estimação
- Evite deixá-lo durante muito tempo em hotéis, longe de pessoas com as quais ele está habituado
- Cães que vivem presos e isolados em canis pequenos têm maior propensão a desenvolver depressão
- Ao menor sinal de comportamentos estranhos, busque sempre o auxílio de um médico veterinário

Nenhum comentário:

Postar um comentário