Got My Cursor @ 123Cursors.com
MEU ANIMAL AMIGO: A MEDIUNIDADE NOS ANIMAIS

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

A MEDIUNIDADE NOS ANIMAIS

O que são médiuns?
A palavra médium significa aquele que é um intermediário, então é todo aquele capaz de intermediar uma ação.
No caso de Espiritualidade, é aquele capaz de intermediar a comunicação entre as duas dimensões.
O que é mediunidade?
É o atributo do médium, isto é, a ação intermediadora do médium, que recebe as impressões colhidas de uma dimensão e as transmite para outra, de forma inteligível, aos que deverão receber o resultado desta comunicação ou intermediação.
Para que um médium seja intermediário das comunicações com os Espíritos, é necessário que ocorra uma sintonia mental entre as partes para que o Espírito comunicante encontre um arquivo mental compatível com a comunicação que pretende.
"Sabeis que tomamos ao cérebro do médium os elementos necessários para dar ao nosso pensamento uma forma sensível e compreensível para vós: é com a ajuda dos materiais que possui que o médium traduz nosso pensamento na linguagem vulgar: pois bem: Que elementos nós encontraríamos no cérebro de um animal? Há palavras, nomes, letras, sinais quaisquer similares àqueles que existem entre os homens, mesmo os menos inteligentes.
Erasto afirma que os animais não possuem arquivos mentais e energias compatíveis com as comunicações com seres humanos e que seria inviável a ocorrência destas comunicações tendo como intermediários os animais.
Erasto afirma que a energia humana é perniciosa aos animais.
Para ilustrar, o autor conta o caso de um cão que foi "magnetizado" por seu dono e morreu fulminado como se fosse atingido por um raio.
Os animais podem ser médiuns?
Em tese sim.
Kardec não parece convencido ao expressar-se neste trecho a seguir, retirado do Livro dos Médiuns, dando a impressão de crer na possibilidade de animais poderem ser médiuns:
"Seja como for em relação às experiências acima (adestramento dos animais e prestidigitação),a questão principal não ficou menos intacta em relação a um outro ponto de vista: porque do mesmomodo que a imitação do sonambulismo (transe mediúnico) não impede a faculdade de existir, a imitação da mediunidade por meio de pássaros não provou nada contra a possibilidade de umafaculdade análoga entre eles ou outros animais... parece-nos bastante lógico supor que um ser vivodotado de certa inteligência, seja mais apropriado para esse efeito do que um corpo inerte, sem vitalidade, como uma mesa, por exemplo." (Allan Kardec - Livro dos Médiuns)
No início da campanha dos Espíritos, eles usaram mesas que giravam e flutuavam e produziam sons para efetivarem comunicações com encarnados, no entanto as mesas não eram exatamente médiuns. Eram apenas instrumentos usados pelos Espíritos que, com ajuda de material mediúnico retirado dos médiuns, conseguiam esstes efeitos físicos.
No livro "10 Claves em Parapsicologia", citado por Carlos Bernardo Loureiro no livro "Fenômenos Espíritas no mundo animal", encontramos citações sobre um caso de mediunidade em animais em que um periquito serviu de intermediário da comunicação.
Um casal vivia na Alemanha e em 1971 ocorreu falecimento da filha Bárbara.
Meses depois da morte da filha, o periquito começou a falar. Inicialmente falou com voz masculina e dava notícias da filha falecida.
Depois de algum tempo, a própria Bárbara começou a se comunicar por intermédio da ave.
Algumas vezes o pássaro se comunicava com vozes desconhecidas em outros idiomas como o russo, francês, inglês e outros idiomas desconhecidos do casal.
Estudos realizados pelo cientista Dr. Konstantin Raudive demonstraram que os fenômenos eram autênticos, descartando a possibilidade de alguma fraude.
Enquanto o periquito mantinha-se em transe, não respondia a estímulos exteriores.
Em 17 de agosto de 1974, o periquito morreu e o casal adquiriu outro que, em pouco tempo, começou a entrar também em transe e fazer comunicações.
Como citamos anteriormente, os animais têm uma capacidade grande de captar pensamento; capacidade premonitória (caso da gatinha que previu o bombardeio).
Uma médium recebeu a comunicação de um Espírito que afirmou que se comunicaria por meio de uma gata. Pediu que fosse colocado um papel esfumaçado em uma caixa fechada em que a gata estivesse também. Ao abrirem a caixa encontraram as letras escritas pela pata da gata: "vin". O Espírito prometeu que a gata escreveria "Vinorio".
Portanto, concluímos que os animais podem ser médiuns, mas não seria uma maneira prática de comunicação, pois os Espíritos teriam de agir de modo mais trabalhoso e com resultados menos confiáveis e menos objetivos.
Seria mais fácil e mais interessante a utilização de um médium humano.
De qualquer modo, o exemplo de Butchi, do periquito e da gatinha chamada Macaca são indicativos de que podem ser médiuns, Sim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário